Estádios candidatos a ‘elefantes brancos’ são apontados em estudo

Por Bernardo Itri

Candidatos

Três estádios construídos e operados pelos governos estaduais são os principais estádios da Copa do Mundo candidatos a se tornar “elefantes brancos”, segundo um estudo produzido por Jorge Hori, consultor do Sinaenco (Sindicato Nacional da Engenharia e Arquitetura): Manaus, Brasília e Cuiabá. Hori aponta, especialmente nos dois primeiros casos, o futebol local e regional fraco, como seus principais obstáculos.

Na ponta do lápis. Embora os jogos de Vasco x Resende e Corinthians x Nacional, time local, pela Copa do Brasil, tenham sido sucessos de público na Arena Amazônia, com cerca de 40 mil e 36 mil pagantes, o consultor aponta que Nacional x São Luiz atraiu público pouco superior a três mil pagantes.

Pior. A situação foi agravada com a eliminação do Nacional e do Princesa do Solimões da Copa do Brasil.

Convidados. No caso do Mané Garrincha, de Brasília, as partidas envolvendo clubes grandes como Santos, Fla, Vasco, Corinthians e Botafogo atraíram excelentes públicos ano ano passado.

Sem estrelas. Porém os mesmos resultados do ano passado, mostra Hori, não se repetem em 2014. Parte disso ocorreu porque a concessionária do Maracanã evitou a “fuga” das equipes do Rio.

Luz no fim do túnel. O consultor, porém, aponta uma solução: a exploração do Mané Garrincha como arena multiuso, pelo poder aquisitivo dos brasilienses e interesse por mega-shows.

Desinteresse. Já a Arena Pantanal, de Cuiabá, teve pouca procura até pelos jogos de times como Vasco e Santos, que acabaram não acontecendo na arena, ressalta o consultor. Além disso, sofre com o futebol frágil.
Conta da Fifa. A Copa do Mundo deixou como “herança” no Itaquerão durante a Copa alguns estragos, cujos reparos estão orçados em cerca de R$ 1 milhão.

Maltratado. Trata-se de danos causados a degraus de escadas quando objetos muito pesados foram arrastados, ou foram feitos buracos na parede por conta de algumas instalações que originalmente não estavam programadas.

Trâmite. A administração do estádio já documentou os danos, inclusive por meio de imagens e encaminhou ao escritório do Comitê Organizador Local para que a Fifa realize o ressarcimento.

De ombros. Candidato a deputado federal, Andres Sanchez diz que, eleito, não participará da bancada da bola. Afirma que o cargo de deputado federal abrange bem mais do que o esporte.

Graúdos. O movimento Atletas pelo Brasil, de Ana Moser e Raí, produziu uma carta-compromisso e conversa com representantes dos candidatos à presidência para que o documento integre seus programas de governo.

Cobrança. O documento formulado pelos Atletas pelo Brasil alerta para a falta de transparência nas entidades que comandam o esporte nacional e também cobra do governo a implantação de uma política nacional de esporte.

Dividida

“A Petrobrás discute dívida fiscal de mais de R$ 100 bi, a Vale renegocia mais de R$ 40 bi. Só clubes não podem refinanciar?
pedro trengrouse
coordenador do curso FGV/Fifa, sobre críticas à proposta de refinanciamento dos clubes