Caixa aguarda eleição para definir se mantém patrocínios em clubes em 2015

Por Bernardo Itri

O resultado da eleição presidencial será determinante para a saúde financeira dos clubes brasileiros em 2015. A Caixa Econômica Federal, patrocinadora de oito clubes da Série A, de cinco da Série B e de dois da Série C, só definirá se vai manter o investimento no futebol após a escolha do novo presidente da República. Somente em 2014 o banco aportou mais de R$ 100 milhões nos times brasileiros –Corinthians e Flamengo são os mais bem pagos.

Fim da linha. Todos os contratos da Caixa com os clubes brasileiros se encerram em dezembro de 2014.

Esperança. A carência de patrocinadores no futebol faz aumentar a preocupação com a possível saída da Caixa. Clubes como Palmeiras e Santos encontram dificuldade em fechar contrato com parceiros e já chegaram a ver no banco federal a possibilidade de acertar um acordo.

Diferencial. Do técnico Tite, sobre Kaká, novo convocado de Dunga, e os reflexos de sua chegada no São Paulo: “O Kaká potencializou o São Paulo. Potencializou Ganso, os homens de frente. O Muricy montou um esquema com dois meias abertos, o Ganso se adaptou. Esse encaixe acaba inevitavelmente acontecendo”.

Contra… Diante de um possível rebaixamento à Série C, Ilídio Lico, presidente da Portuguesa, admite que o clube pode fazer parceria com outro time, uma espécie de fusão, para tentar tirar o time do caos. “Se vier uma coisa boa, podemos fazer”, diz. Ele já foi procurado pelo Audax, mas considerou que não seria um bom negócio.

…a parede. Lico, desolado, completa: “A situação está tão ruim, imagina o que vai acontecer se cair para a Série C”. O presidente relata que está conversando com seus jogadores e dizendo “agora, é ganhar ou ganhar”.

Paz… Pré-candidato à presidência do Palmeiras, Wlademir Pescarmona cogita, caso seja eleito, acabar com a briga jurídica entre o clube e a WTorre, construtora da arena, pela divisão de cadeiras do estádio.

…e amor. Pescarmona afirma que quer usar seu candidato a vice-presidente, Luiz Gonzaga Belluzzo, para ser o interlocutor do clube com a WTorre. Diz que a intenção é manter um bom relacionamento com a empreiteira. Belluzzo, aliás, é ferrenho defensor da parceria.

Na mira. Jonas, volante do Sampaio Corrêa, se tornou a bola da vez dos clubes da Série A para 2015. Já foi procurado por interlocutores de Corinthians, Cruzeiro e Flamengo. Mas a equipe maranhense faz jogo duro e diz que só libera o jogador caso seja paga a multa rescisória, de cerca de R$ 2 milhões.

Cabo de guerra. Apesar da resistência do Sampaio Corrêa, o estafe de Jonas tenta agilizar a liberação do volante para um clube maior.

Mais um. A NBA Brasil, que organiza partida entre o Miami Heat e o Cleveland Cavaliers no Rio, no próximo sábado, fechou o 12º patrocinador para o evento. A Kalunga acertou para expor sua marca na HSBC Arena, onde acontece o jogo. A Oi é a patrocinadora máster do evento.

DIVIDIDA

“Minha revolta é com a falta de organização da CBF

ATAÍDE GIL GUERREIRO

vice-presidente de futebol do São Paulo, criticando a confederação por realizar amistosos da seleção e não paralisar o Brasileiro para não prejudicar os clubes