Santos e São Paulo podem aposentar números de camisas em 2015

Por Bernardo Itri

Dois números podem ser aposentados nos uniformes de São Paulo e Santos em 2015. Grupo de são-paulinos apresentou ao presidente Carlos Miguel Aidar a ideia de que ninguém mais use a camisa 1 depois que Rogério Ceni parar. Prometem fazer pressão no conselho deliberativo que a proposta seja aprovada. Uma das promessas de Nabil Khaznadar, candidato a presidente do Santos, é retirar a camisa 10, em homenagem a Pelé.

 

Diferenças. Candidato a presidente do Santos pela situação, Nabil Khaznadar afirma partilhar os mesmos valores e ideias do atual mandatário, Odílio Rodrígues. Mas considera que a execução dos projetos deixa a desejar.

Veteranos. A dificuldade financeira dos clubes faz com que jogadores velhos conhecidos dos torcedores sejam oferecidos aos grandes de São Paulo. Marcos Assunção, 38, se colocou à disposição para voltar ao Palmeiras. Diego Souza, 29, é tema de conversas no Corinthians.

Promessa. Em carta aos sócios e assinada pelo vice de comunicações, Luiz Gonçalves Filho, o presidente Ilídio Lico promete fazer uma auditoria nas contas da Portuguesa nos últimos seis anos. O período engloba parte da administração de Manuel da Lupa, entre 2005 e 2013.

Promessa 2. O grande objetivo, não declarado formalmente na carta da diretoria da Lusa, é expulsar Manuel da Lupa do quadro associativo do clube.

Mais dinheiro. Com 60 mil pessoas em seu programa de sócio-torcedor, o Palmeiras espera arrecadar R$ 20 milhões em 2015. Ainda fica abaixo do Santos, que tem 57 mil associados, mas fatura R$ 21 milhões. Os dados são do Movimento por um Futebol Melhor.

Mensal. A diferença é por causa da mensalidade. No Santos, são cobrados R$ 31. No Palmeiras, R$ 28. Por isso, o Corinthians, que tem 63 mil sócios, deve arrecadar apenas R$ 17 milhões. A perspectiva é que o São Paulo consiga R$ 13 milhões com o programa de sócio-torcedor.

100 mil. A diretoria do Boca Juniors (ARG) anunciou ter chegado aos 100 mil sócios contribuintes. Apesar de ter divulgado ser o primeiro clube sul-americano a atingir a marca, ainda não alcançou o Inter-RS, que tem 120 mil associados.

Um por todos. O projeto Mosqueteiros de Paraisópolis vai organizar no dia 6 competição entre as crianças que tiveram aulas de esgrima na comunidade que reúne mais de 40 mil habitantes em São Paulo.

Futuro. Em 2015, a ABE (Associação Brasileira de Esgrimistas), que criou o programa, quer conseguir recursos da da Lei de Incentivo do Esporte para bancar a continuidade dos Mosqueteiros.

Quase um time. Após ter contratado o zagueiro Betão, o Guarani conta com o técnico Marcelo Veiga para montar o elenco em 2015. O treinador da equipe prometeu levar dez jogadores para o clube de Campinas.

Colaborou MARCEL MERGUIZO, de São Paulo

 

DIVIDIDA

“As sete mortes em uma semana são a prova do fracasso do futebol argentino
DIEGO MURZI

sociólogo e diretor da ONG Salvemos al Fútbol (Salvemos o Futebol), sobre a sucessão de mortes em brigas de torcidas no país na semana passada