Pela primeira vez em 46 anos atletas da Copinha fazem exame antidoping

Por Bernardo Itri

Pela primeira vez nos 46 anos de história da Copa São Paulo de futebol júnior, os jogadores estão passando por exames antidoping. A ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem) começou a testar quatro atletas por partida a partir das oitavas de final da competição. A iniciativa partiu da agência, que banca os custos da ação para ganhar experiência para coordenar esse controle na Olimpíada de 2016, no Rio.

Como faz?. A realização do exame antidoping não consta no regulamento da Copa São Paulo, portanto pegou os jogadores de surpresa. “Percebemos que muitos atletas desconheciam o que era um teste”, afirmou Marco Aurélio Klein, diretor da ABCD.

É você. Para escolher os jogadores é seguido o regulamento da Fifa e CBF de sorteio de atletas. A agência distribuiu kits médicos para a realização dos exames, que são feitos por meio da urina.

Opção. A briga política e as polêmicas no São Paulo foram determinantes para que a Crefisa tenha optado por patrocinar o rival Palmeiras em 2015.

Público e privado. Pesou na decisão da Crefisa a lavagem de roupa suja pública entre o presidente Carlos Miguel Aidar e o ex Juvenal Juvêncio, além do caso envolvendo a namorada de Aidar, Cinira Maturana, que tinha contrato para intermediar acordos de marketing.

Voto. A chapa encabeçada por Antonio Roque Citadini à presidência do Corinthians enviou à comissão eleitoral do clube uma petição pedindo detalhes sobre as urnas eletrônicas que serão usadas na eleição de 7 de fevereiro. Existe preocupação com possíveis fraudes.

Ligação. Os oposicionistas, que enfrentarão Roberto de Andrade, da situação, querem saber se a empresa escolhida tem ligação com atual diretoria do clube e até do fundo que administra o Itaquerão, estádio do time. O grupo quer que haja comprovantes em papel dos votos.

Violência. A Federação Paulista de Futebol não pretende punir as organizadas de Corinthians e São Paulo pela confusão após a partida da Copa São Paulo entre os times, quinta (22), em Limeira.

Dificuldade. Segundo relatório, não houve detidos, por isso a dificuldade de identificar envolvidos na tentativa de briga que acabou apartada pela PM.

Sobrevivente. Mesmo sem Corinthians e Palmeiras, que têm suas arenas funcionando em 2015, o estádio do Pacaembu vai receber partidas do Paulistão. Além do São Paulo, que usará o campo devido a reforma no Morumbi, a Portuguesa quer mandar jogos no estádio.

Fora. O Canindé, campo da Portuguesa, está interditado devido à falta do laudo de segurança e não será liberado nas primeiras rodadas.

Formação. Clube que contrata mais, em vez de formar atletas ou manter a base, tem maior possibilidade de fracassar. A conclusão é de um estudo publicado pelo Centro Internacional de Estudos do Esporte, que faz trabalhos para a Uefa e para a Fifa.

Corpo mole. O levantamento mostra que 34,5% dos clubes que trocaram mais de 16 jogadores entre 2009 e 2013 acabaram rebaixados. Apenas 10% daqueles que compraram dez ou menos atletas caíram. Um dos motivos, segundo o estudo, é que especulações de transações diminuem o rendimento dos atletas em treinos.

Colaboraram PAULO ROBERTO CONDE e RAFAEL VALENTE, de São Paulo

DIVIDIDA

“Quando uma parte quer brigar, não há jeito, tem que agir com força. Se a PM não estivesse preparada, o confronto seria maior”

MARCOS MARINHO

Diretor da Federação Paulista, sobre briga após Corinthians x São Paulo na Copinha