Prêmio quase triplica e campeão da Copa América receberá US$ 4 milhões

Por Bernardo Itri

A Conmebol definiu que o campeão da Copa América 2015, que será disputada no Chile, receberá US$ 4 milhões (R$ 10 milhões). Os valores de premiação foram informados aos filiados na sexta (23), em reunião da cúpula da Conmebol, e quase triplica o que recebeu o vencedor da Copa América 2011 — os uruguaios embolsaram US$ 1,5 milhão. O vice terá US$ 3 milhões (R$ 7,7 milhões) e o terceiro colocado US$ 2 milhões (R$ 5 mi)

Jogou, ganhou. Como na Libertadores, haverá cota pelas partidas da primeira fase, quartas de final e semifinal, o que no final engorda a premiação de todas as seleções. Por jogo a Conmebol promete pagar US$ 500 mil (US$ 1,2 milhão). Em 2011 a entidade pagou US$ 250 mil por jogo.

Mundial. A premiação da Copa América aumentou, mas ainda está bem abaixo do que a Fifa paga na Copa do Mundo. A Alemanha, ao levantar a taça em 2014, ganhou US$ 35 milhões.

Chegou o verão. A cúpula da Conmebol se mudou para Punta del Este, badalado balneário no Uruguai, neste início de 2015. Além da reunião de sexta (23), que contou com as presenças de Jose Maria Marin, presidente, e Marco Polo Del Nero, presidente eleito, da CBF, haverá encontro na cidade em 5 de fevereiro sobre a Copa América de 2016, que vai comemorar os 100 anos da entidade.

Na parede. A Justiça determinou que o Corinthians tem até 3 de fevereiro para pagar R$ 2,7 milhões à empresa GP Sports, dos procuradores do volante Ralf. Eles entraram com a ação porque, em 2012, o Corinthians se comprometeu a comprar a parte dos direitos econômicos do atleta que pertence à empresa, mas não fez isso até este momento.

Quinzena. A decisão é de 7 de janeiro, mas o oficial de justiça precisou de 12 dias para encontrar alguém no clube para notificar. É de 19 de janeiro que contam os 15 dias úteis para fazer o pagamento. O clube ainda pode recorrer e pedir embargo da decisão.

Uniforme dividido. O Palmeiras ainda negocia com a empresa chinesa de eletrônicos Huawei para o patrocínio da manga da camisa. A parte nobre, peito e costas, ficou com a Crefisa, de crédito popular, por R$ 23 milhões/ano em contrato até 2016.

Mudança. A proposta do Grêmio em alterar o regulamento do Brasileiro e ter finais com jogos eliminatórios é mais simples do que a apresentada pela federação baiana e tem menos rejeição em alguns clubes.

Diferentes. O Grêmio quer que os quatro primeiros após dois turnos disputem semifinais e depois os vencedores se encontrem na final. A Bahia sugere que os oito melhores num turno único sejam divididos em grupos.

Contatos. Ednaldo Rodrigues, presidente da federação baiana, disse que ainda aguarda resposta da CBF e principalmente da Rede Globo, detentora dos direitos de TV. “É como diz o ditado. Quem paga a conta, escolhe a banda”, disse.

Concessão. A HSBC Arena, que receberá as provas de Ginástica nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, terá um novo administrador durante o evento. Nas próximas duas semanas a prefeitura do Rio lançará um edital para que uma nova empresa obtenha a concessão do ginásio.

Grana. O vencedor terá que investir cerca de R$ 8 milhões em melhorias no equipamento antes da realização da Olimpíada, em agosto.

Colaboraram GUILHERME SETO, de São Paulo, e ITALO NOGUEIRA, do Rio

DIVIDIDA

“A proposta de regulamentação da CBF é genérica. Queremos um esqueleto de como funcionariam as punições, por exemplo

RICARDO BORGES

Diretor do Bom Senso, sobre a CBF incluir em regulamentos punições aos clubes